15.11.09

Barulho na Escola de Surdos!!!

Renata Bortoletto com o Pappo. Pirata adora paquerar, é triste! Reparem a cara de alegria do sujeito.

Eu e o Beto com o Pappo

É gente! Isso é certo... só se sabe alguma coisa do outro depois que nós vivemos pelo menos um dia na vida do outro. E algo que eu aprendi sobre os Surdos é que eles são barulhentos. Como se comunicam, como dançam em gestos, olhares, caras e bocas. Me pareceram de um primeiro momento, mais que comunicantes, mas artistas, palhaços, renovando-me o espírito, como se eu fosse apenas uma criança. E acho que fui criança junto a eles.

A tarde de lançamento dos Ecopiratas não poderia ser mais maravilhosa, faltou muito pouco para eu ir às lágrimas, mas o tempo todo isso foi substituído pelas gargalhadas gostosas de todos ao redor.

Eu entrei desenhando para uma platéia de quase 200 pessoas, entre crianças surdas de pais ouvintes e crianças ouvintes de pais surdos. Logo em seguida vídeos de apresentação foram mostrados e uma espetacular dança de Surdos foi feita como mostra de que nada é impossível.

Logo depois voltei para apresentar o nosso Papagaio Pappo, o primeiro muppet a falar e gesticular em LIBRAS, a Língua Brasileira de Sinais. Quando terminei o desenho com a ajuda das crianças, Pappo entrou em cena levando os pequenos à loucura! Foi uma delícia ver aqueles olhinhos brilhando de felicidade.

Pappo falou sobre o absurdo do Governo Federal querer acabar com as escolas de surdos e disse que estaria fazendo uma campanha contra esse movimento. Pode ter certeza Pappo, que eu, o Beto e toda a nossa equipe estaremos juntos contigo e os Ecopiratas para acabar com isso!

Muito obrigado a Sabine, Débora, Miriam, Lívia, Júlio, Jefferson, professores, funcionários, pais e alunos do Colégio Rio Branco.

Obrigado à Editora Planeta pelo apoio, ao meu amigo e irmão mais velho Beto Junqueyra (você me dá força o bastante para vencer muitos obstáculos) e Renata Bortoletto (carinho e suporte deveriam ser os seus sobrenomes).

Finalmente, mas não menos importante, agradeço muito aos meus pais pelo apoio e especialmente a minha mãe por ser "pãe".

Meu incomensurável manifesto de amor, se deve a Roseane Fernandes, minha mulher. Ela sabe que sem ela nada disso seria possível ou sequer estar acontecendo. Parte da minha arte e do meu sucesso, eu tenho o orgulho e a alegria de dever a você, meu amor.

4 comentários:

Frederico Zveiter disse...

Eric, mais uma vez, parabéns, meu irmão! Você só dá orgulho! Te adoro, cara!

Fred

Eric Gerhard e Lu Gerhard disse...

Ah! valeu Fred!!!!

Depois vou colocar mais coisas sobre o evento... falei no palco e tudo!

Foi muito legal!

Bjks,

Eric Gerhard

Débora Caetano Kober disse...

Eric, foi realmente maravilhoso!
Fico muito feliz com essa parceria na luta pelo direito linguístico do surdo, que é a sua verdadeira acessibilidade ao mundo e inclusão de fato.
Preciso dizer ainda, que além de grande ilustrador, és também poeta!
abraços
Débora Kober

Eric Gerhard e Lu Gerhard disse...

Ah, Débora! Muito obrigado pelo retorno e pelo carinho.

Bjks!!!

Eric Gerhard

 
hits